segunda-feira, 21 de junho de 2010

Quase Poesia



Enquanto os anjos dizem Amém! Os pássaros, flores e borboletas embelezam campos e jardins; as pessoas ainda encontram nas estrelas, no luar e na serenata o canto poético de expressão e dedicação à ternura do amor espontâneo.

A poesia com sua linguagem fecundada na alma e abençoada pela pureza do sentimento pleno sintetizam a carência do carinho e do aprendizado. Neste olhar além do horizonte sensitivo, é que a poesia abre rincões e pavimenta caminhos que nos levam ao amor pelas palavras bem empregadas. Exilando a tristeza e abraçando as boas intenções com o ósculo da amizade sincera.

Como se numa conexão profética, recebi recentemente o livro “Quase Poesia”, enviado pela própria autora, a escritora e poeta Basilina Pereira. Na sua apresentação, ela anuncia para nossa surpresa, que este exemplar é a sua primeira obra literária publicada. Porém, o que nos mostra é uma consciência madura de quem nasceu escrevendo as belezas do sentimento através da poesia, de forma muito consciente. Nada melhor que externar as entranhas do âmago lúdico, permeando cada etapa do crescimento espiritual, com ideias vibrantes do caráter poético, sem a interferência da vaidade soberba.

Em “Quase Poesia” a poetisa Basilina nos presenteia uma coletânea com mais de cem poemas, onde você terá à sua escolha, aquele que mais identificar com o seu momento. Separei entre eles, três que particularmente me disseram o que desejava sentir. Espero que comunguem comigo este mesmo prazer.

Se não foi o bastante, o que é provável procure adquirir esta obra poética através do blog da autora, http://www.poesiasbasilina.blogspot.com/, ou pelo endereço: www.recantodasletras.uol.com.br/poesias/1299361.
À Basilina, o meu agradecimento e minha admiração. Sucesso pleno, amiga...




Perspectivas


Eu quero...
mergulhar na vida com o elã da juventude,
sentir o frescor da brisa
arrepiando meus cabelos,
enfrentar as tempestades
com o destemor dos guerreiros medievais.


Eu posso...
Percorrer muitos caminhos,
Sentir todos os arrepios,
Chorar, sorrir, ousar, crescer.

Eu vou...
amanhecer feliz a cada dia,
embrenhar-me no mundo da poesia
e experimentar, talvez, outras emoções.

Eu preciso...
Investir, esperar, plantar e colher.

Eu anseio por...
viver em plenitude como os insensatos,
experimentar o êxtase dos amantes,
na voragem de seus corpos entrelaçados,
no sentimento da busca e da entrega total.

E assim...
alçar voos impossíveis,
buscar na incerteza o caminho certo,
caminhar na chuva até o próximo deserto
e buscar a plenitude,
de um novo amanhecer.



O Amor Maior
(Homenagem às filhas: Cláudia, Vânia e Valéria)

Como um rio que vem da alma
da terra fecunda, berço da vida,
aflora uma lágrima, transborda no peito
a emoção maior, nunca antes sentida.

Explode em choro, o coro nascente
o fruto do amor, incenso dourado,
é como se o galho descesse da árvore
e todo o universo ficasse parado.


Respinga ansiedade, dissolve a certeza,
ante o milagre que se faz criatura,
trazendo no mel que lhe corre nas veias
os mais belos sonhos de uma mãe insegura.


Aquela que tenta, que ri e que chora,
que canta cantigas, faz ninho de flores,
é a mesma que erra, acerta, em amor transborda
e agradece aos céus por serem dela as dores.




O Jardineiro


Por todo o tempo esteve ali aquele jardim.
Como tantos, presença melancólica,
impessoal...
Grama aparada, sempre verde,
algumas touceiras de gerânios e taguetes
indiferentes ao fluir das estações...
Flores minguadas e reticentes
teimando em esconder-se de olhos curiosos
e do buliço das crianças.
Até a sequóia, majestosa senhora das alturas,
mantinha-se contida em sua posição
de espera.
Mas um dia chegou o jardineiro
e olhou aquele jardim de perto.
Cuidou de cada planta como se fosse única,
regou-as como só amam os poetas...
E assim, numa linguagem só deles,
o milagre se fez flor:
a quaresmeira tingiu-se de roxo
e as açucenas, há tanto adormecidas,
romperam seus torrões vincados
e bailaram ao sabor do vento.
Sem falar do jasmineiro...
Há! esse transgrediu os limites da modéstia.
Há quem tenha notado a diferença,
(suponho)
e os outros seguirão seu caminho,
alheios aos apelos da cor, do perfume
e do brilho
que só os pássaros conseguirão captar.


A propósito, você já acessou a fan page do meu livro infantil Juju Descobrindo Outro Mundo? Não imagina o que está perdendo. Acesse: www.fecebook.com/jujudescobrindooutromundo.

E o site da Juju Descobrindo Outro Mundo, já o acessou? Se eu fosse você iria conferir imediatamente. Acesse: www.admiraveljuju.com.br 

Imagens: Google Imagens

13 comentários:

Basilina disse...

Dilson, encantada com sua deferência. È grande a minha alegria por estar aqui, em destaque , no seu blog,recebendo suas palavras gentis e elogiosas, referentes ao meu trabalho poético.
Meus sinceros agradecimentos.

Dilson Paiva disse...

Boa amiga Basilina, para nós está sendo motivo de mta honra tê-la no conteúdo do Bússola Literária. O trabalho é lindo, intuitivo, intimista e descreve com grande propriedade o seu talento como mensageira do lirismo escrito, e um exemplo de personalidade despontando em nível de igualdade com os preciosos nomes da literatura poética mundial.
Parabéns!...

Basilina disse...

Mais uma vez meus agradecimentos , Dilson.Isso me motiva a prosseguir. E vou. Haja vista o lançamento do segundo livro JANELAS, que já está pronto, aguardando apenas o término da COPA, para começar a circular. E atrás desses , outros virão, se Deus quiser, e o apoio dos amigos.
Abraços.

Regina Azenha disse...

Dilson, parabéns por nos presentear com a poesia da querida amiga Basilina Pereira.
Homenagem mais que merecida a essa poetisa de sensibilidade impar.
Beijos
Regina Azenha

Dilson Paiva disse...

Obrigado pela visita Regina, sua presença mto nos honra. Tb gostei mto do trabalho da amiga Basilina. Tdos nós sabemos do seu talento e sensibilidade, como vc disse ímpar.
Algumas pessoas têm comentado comigo por outros meios, sem ser aqui neste espaço. E o que percebi é que os seus poemas já estão passeando pela Europa e Índia, através de outros amigos que lá residem e os descobriram no Bússola Literária, isto tb nos deixa mto feliz.

sandra disse...

com respeito e admirãção venho só p/ deichar meu simples comentáro dizendo q/ vc Basilina, e um anjo q/ Deus colocou no meu caminho pra tormar mais agradavel minha vida e tambem a vida de todas as pessoas que encontrarem vc nesses caminhos de poesias e amor ...desejo sucesso e novas e lindas inspirações! bjs.

Sonia disse...

Eu que sou fã dessa mulher linda que um dia eu tive o privilégio de cruzar o seu caminho na vida virtual e a tenho no rol de amigas e recebo um bálsamo de suas poesias diárias fico lisonjeada em está aqui lhe homenageando . Parabéns aos dois amigos. Um pela iniciativa da homenagem e a ela, linda mulher pelo seu belo e maravilhoso talento. Basilina você é um exemplo de fibra e coragem. Talento nem vou falar tem de sobra. Abraços carinhosos e muita luz na sua jornada. .

Loivarice disse...

Só posso dizer Parabéns, os trabalhos de Basilina que nos alegram a cada dia merecem esse reconhecimento.Ela ajuda a construir com sua poesia um mundo bem melhor... Abraços

Basilina disse...

Meus sinceros agradecimentos à Regina e à Sandra, que de maneira tão gentil e carinhosa aqui vieram deixar sua mensagem o que muito me gratifica. A poesia é algo mágico que toca as pessoas de diferentes formas e emgruas diversos de intensidade, mas sempre na medida da sensibilidade. Para mim, essa conexão é magica: é onde as almas se encotram.

Dilson Paiva disse...

Aos amigos que estão prestigiando com muita justiça o trabalho poético da Basilina, gostaria de poder contar suas visitas em outras oportunidades acompanhando as publicações do Bússola Literária.

Juraci disse...

MEU QUERIDO AMIGO QUE DELICIA,SABER QUE SEMPRE VOU PODER VIR AQUI DESFRUTAR DESTE MARAVILHOSO PARAISO DE LEITURAS EXTRAORDINARIAS, COM SUA ALMA SABIA, ILUMINADA VC NOS PROPORCIONA EXCELENTES MOMENTOS NESTE BOLG, QUE NOS FAZ TRANSPORTAR ALEM DA NOSSA IMAGINAÇÃO.
Enquanto os anjos dizem Amém! Os pássaros, flores e borboletas embelezam campos e jardins; as pessoas ainda encontram nas estrelas, no luar e na serenata o canto poético de expressão e dedicação à ternura do amor
PERSPECTIVAS: MUITO LINDO EU ME ENCONTREI ALI .
Eu vou... amanhecer feliz a cada dia, Eu preciso...
Investir, esperar, plantar e colher. Eu anseio por...
viver em plenitude de seus corpos entrelaçados,
no sentimento da busca e da entrega total. buscar na incerteza o caminho certo,
buscar a plenitude, de um novo amanhecer.

O AMOR MAIOR
So mãe mesmo né sem comentários

O JARDINEIRO
Sem falar do jasmineiro...Há! esse transgrediu os limites da modéstia.
Há quem tenha notado a diferença,(suponho) e os outros seguirão seu caminho,alheios aos apelos da cor, do perfume e do brilho que só os pássaros conseguirão captar. Muito lindo simbólico ao amor dos amantes, não so os pássaros captam mas com certeza não passará despercebido aos olhos de ninguém, que ali passarem.
Parabéns Dilson continue sempre assim seus leitores agradecem.
E parabéns a Basilina pelo bom gosto ao lirismo

Uil De Biase disse...

Passando para deixar o meu carinho e admiração. Parabéns, querida!!, bjka da Uil

Basilina disse...

É com imensa alegria que volto aqui para agradecer aos meus amigos pela leitura dos poemas e comentários tão elogiosos e gratificantes. Sônia, Juraci, Uil, Loivarice,todos, enfim, meus (minhas) amigos(as) querid0s(as), que já me conhecem de longo poetar e compartilham comigo dessse meu encantamento pelas palavras. O meu sincero agradecimento, recheado de carinho.